quinta-feira, 17 de agosto de 2017

DENÚNCIA CONTRA O GOVERNO DE DAVI ALMEIDA NA ÁREA DE SAÚDE!


 O irmão do governador David Almeida (PSD), Daniel Almeida, teve uma conversa gravada com a diretora do Instituto Gente Amazônica (Igam), Maria Lima, em que passa a ameaçá-la por ter denunciado o superfaturamento no valor do contrato de R$ 8,4 milhões, feito pela Secretaria de Saúde do Estado (SUSAM) com o Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED) para realização de cirurgias eletivas.  O áudio do diálogo foi divulgado no Portal do Holanda. Em tom furioso, o irmão do governador Maria com palavras obscenas, de toda ordem.

Eis  alguns trechos do diálogo:


- O que tu “espera” (SIC) fazendo isso contra o governo (...), pressiona o irmão do governador interino, Davi Almeida, presidente da ALE/Am.

-Qualquer um que assuma e queira superfaturar na saúde eu vou denunciar, responde Maria Lima, do IGAM.


Num outro trecho da gravação Daniel é questionado pela diretora Maria Lima sobre o superfaturamento feito pelo governo

- Daniel, a população tá morrendo e o “cara” (Wander) superfaturando R$ 10 mil, por cirurgia. Você acha certo isso? Indagou a presidente do Igam Maria Lima, protestando contra o valor que pago à tercerizada IMED que “quarterizou” o mesmo serviço com o ICEAM (Instituto de Cirurgias do Amazonas). No contrato da SUSAM com o IMED houve ainda dispensa de licitação


- Não exponha o meu irmão, retruca Daniel. O valor real que deveria ser cobrado era de R$ 1,6 milhão, segundo a diretora. Ela, segundo o Portal do Holanda, teria protocolado denúncia contra, Wander Alves, no Ministério Público Federal e Tribunal de Contas do Estado. Wander fora nomeado pelo governador interino, Davi Almeida.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

TUDO E O NADA!


Se encontram no mesmo ponto de inversão de valores morais da sociedade!

Tudo pode ser nada também dentro desse conceito filosófico social! Em Natal, onde passei uma semana na companhia de minha esposa Yara, vi que o estacionamento do Carrefour não cobra nada e, mesmo assim, há respeito às vagas demarcadas, ao contrário de Manaus que é pago e não respeitam nada!

Participei de AG dos moradores do Mundi em Manaus e se perdeu muito tempo discutindo quem teria direito ou não a usar as vagas demarcadas. Um morador chegou a sugerir “bom senso com os preferenciais”. Está tudo definido nas Resoluções 303/304 do Contram: quem pode e como pode estacionar nessas vagas demarcadas. Quando o tudo se transforma tudo em nada?

Sempre que os direitos sociais falam mais alto do que a razão moral da sociedade que acha normal furar a fila de idoso, parar em uma vaga demarcada quando não tem um guarda municipal "presencial".

No estacionamento pago do Carrefour em Manaus, que é a isenção só para quem apresenta nota de compra no supermercado que há tolerância de 30 minutos (caso não apresente nota fiscal de compra).

Estive em Natal e comprei no Carrefour da cidade potiguar e lá não cobram estacionamento, mas respeitam as vagas demarcadas para especiais. Constatei esse respeito em Natal. Por que é cobrado em Manaus e o que existe até "homem grávido" estacionando em locais demarcados para “mulheres grávidas”, o que não é obrigatório pelas resoluções do Contran.

O presidente do PDC de Natal, defende uma reforma moral. Contudo toda mudança moral para motivar, deve começar na sociedade e não como se pensa e se defende que ela ocorra primeiro na classe politica e não na sociedade! Se[User1]  a sociedade não mudar seus valores, impossível será a mudança política, afinal os políticos bem ou mal representam a sociedade brasileira.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

MATEMÁTICA DA ÉTICA!


Respondendo a uma pergunta sobre ética, o durante do reinado do al-Mamum (813-833) um matemático árabe Abu Abdullah Mohammed ben Musa Al-Khwarizmi, conhecido na história com Al-Khwarizmi, deu a seguinte resposta:


     Se tiver ética, então ele é =1.
     Se também for Inteligente, acrescente 0 e será =10.
     Se também for rico, acrescente outro 0 e será =100.
     Se também for belo, acrescente outro 0 e será =1000.
     Mas, se perder o 1, que corresponde à ética, perderá todo o seu valor pois, só restarão os zeros."

 

Sabe-se pouco sobre sua vida, mas há indícios de que ele, ou a sua família, era originário de Khowarezm, a região a sul do mar Aral, na altura parte da Pérsia ocupada pelo Árabes (atualmente parte do Uzbequistão.

 

Será em qual se encaixariam dentro da fórmula de Al-Khwarizmi sobre ETICA, os dois concorrentes se encaixariam, ao mandato suplementar para subsumir o ex-governador cassado, José Melo, por compra de votos?

 


Só o tempo responderá a essa pergunta!

VERDADE & MENTIRA!


Nada é verdade e nada é mentira, completamente!

A verdade existe para ser refutada com novas pesquisas cientificas. A mentira é algo que se diz para "enganar-se a si próprio".  Ambas não deveriam existir, como de fato não existem mesmo! Só existem para quem as pronuncia, afinal, Joseph Goelbs dizia quem "uma mentira dita e repetida diversas vezes, torna-se uma verdade".

Só espero que os dois candidatos, ex-governadores Amazonino Mendes e Eduardo Braga, que se digladiam pelo poder do segundo turno no Amazonas, não passem a acreditar na teoria de Goelbs e passem a se agredir menos pelas redes sociais e apresentarem seus planos de Governo.

Amazonino Mendes diz que vai "arrumar a casa", primeiro para conhecê-lo em todos os aspectos, mas não diz como!. Eduardo Braga fiz que o "Amazonas tem jeito" igual como dizia seu vice, Marcelo Ramos, que “tem dinheiro e dá para fazer". Será que daria mesmo?  


O tempo, maior pai da história, responderá quem tem razão! Não votarei em ninguém porque defendia a mudança!

domingo, 13 de agosto de 2017

NASCEMOS SEM NADA E NADA LEVAREMOS!


“Nascemos sem trazer nada, morremos sem levar nada...
E no intervalo entre a vida e a morte, brigamos por aquilo que não trouxemos e não levaremos... Pense nisso: Viva mais, ame mais, Perdoe sempre e seja mais Feliz”



PERGUNITO SOBRE A MENSAGEM QUE RECEBI POR WHATSAPP: 

POR QUE QUEREMOS ACUMULAR TANTO DINHEIRO?.

POR QUE OS POLÍTICOS FEDERAIS DESVIAM TANTOS RECURSOS PÚBLICOS se nada poderão levar para o túmulo? 

Por que no ministério do presidente Michel Temer   existem 10 envolvidos na “Operação Lava Jato”?

Seria que era por falta de políticos honestos em Brasília? Pode ser!

Eis a receita da felicidade “Perdoe sempre e seja mais feliz”






SER PAI...


Das muitas mensagens políticas da eleição suplementar no Amazonas e do DIA DOS PAIS que recebi, duas me sobre o DIA DOS PAIS chamaram a atenção pela originalidade e simplicidade. Uma dela, a mais original, foi postada por Gregory Oliveira dizendo que "todos podem ser pais, mas é preciso ser homem para aceitar as responsabilidades de SER UM PAI". Outra, recebi de Manolo Olímpio, criador do I FECANI no município amazonense de Itacoatiara há mais de 30 anos, usando uma frase simplista demais, apesar de bastante original, a do deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o palhaço "Tírica", dizendo que "ser pai é ter um filho"!

Independente da historicidade,  pais, data, o ano em que pela primeira vez foi comemorada a data, Dia dos Pais deveria ocorrer todos os dias porque para ser pai, não é só "ter um filho," como referiu o deputado federal Everardo, mas ter e assumir responsabilidades de um pai.

Todos os pais foram filhos um dia. e dependendo da opção sexual que venham a adotar no futuro, todos também serão avós no futuro e envelhecerão igualmente! Apesar de todo o avanço da ciência, ela não conseguiu até hoje reverter a opção sexual de uma pessoa, como vem discutindo a novelística acreana Gloria Perez, com sua personagem emblemática Ivana, em "FORÇA DO QUERER", exibida pela rede Globo!

Só espero que na eleição suplementar do Amazonas, os eleitores tenham o discernimento que não tiveram no primeiro turno de escolher um candidato pela mudança, como quer fazer a personagem de Gloria Perez: se eleger com prometendo uma coisa e depois de eleito, mudando tudo e esquecendo suas promessas!  Gostei mais com o whatszap de Gregory Oliveira por ter me merecido a melhore mais inteligente como espero que os eleitores do Amazonas tentam também no segundo turno, elegendo o mais menos pior entre os dois candidatos porque meu voto será em ninguém!


sábado, 12 de agosto de 2017

VENEZUELA É UMA REPUBLIQUETA NARCO TERRORISTA


Recebi pela rede social de Antônio Fernando Pinheiro Pedro por ZAP, achei interessante, melhorei, fiz pontuações, (sem autorização do autor) e decidi publicar em meu blog, mesmo não concordando com todas as afirmações do autor:
 
Não há mais dúvidas: a Venezuela tornou-se uma republiqueta narco terroristas.

O presidente Maduro tornou-se uma excrescência suportada por um exército sem honra, protegida por uma milícia de ratos marginais e um tribunal de fantoches.

Tal qual na ditadura do "General Alcazar" - personagem caricato dos livros de Tintim, o povo venezuelano sofre na miséria, dividindo a paisagem do seu cotidiano com o lixo, o desabastecimento, espancado e atormentado por covardes imbecis trajando uniformes coloridos e variados.
Os seguimentos sociais foram substituídos por castas vinculadas às suas misérias peculiares: pobres dependentes da esmola do Estado, milicianos celerados que assaltam o povo em troca de roupa e comida, uma ante
s orgulhosa e hoje miserável classe média consumida em infindáveis filas e trabalhos escorchantes e os ratos burocratas do governo -desprovidos de qualquer dignidade.
O povo venezuelano, massacrado, não encontra mais respaldo em qualquer das instituições nacionais. Não possui líderes à altura do enfrentamento necessário e urgente - imprescindível ao resgate da pátria (que só ocorrerá com o sangue extraído de Maduro e sua corja de assassinos).
Esse sistema ensandecido que hoje domina a Venezuela, é paradoxalmente mantido pela venda de petróleo ao seu maior "inimigo", os Estados Unidos. Mas talvez isso venha a ser corrigido pelas sanções a serem adotadas contra a ditadura que agora rasga a fantasia.
A Venezuela também não é mais um país soberano. Os parasitas bolivarianos venderam o controle do Estado ao narcotráfico, a infraestrutura da pátria à corrupção, os campos petrolíferos às empresas chinesas e suas forças armadas à Rússia.
O EFEITO - BATRÁQUIO
A Venezuela mergulhou no Estado de Exceção a partir do seu aparato militar. Porém, alcançou a ditadura com o populismo - cuja progressão autoritária envolveu a população da mesma forma como uma panela com água fria envolve um sapo - que morre sem reagir à progressiva fervura imposta a fogo lento.
O processo kafkiano culminou com a assunção de uma assembleia constituinte fraudada e manipulada, sob as vistas grossas de uma suprema corte constitucional desprovida de dignidade.
Tal como o sapo morre na fervura, o processo não ocorreu do do dia para a noite. Ele se desenrolou em várias etapas.
A primeira etapa adveio do questionamento sistemático de conceitos caros à estrutura de um Estado democrático. Foram anos de deformação conceitual da justiça, de esmagamento burocrático da livre iniciativa, de políticas culturais enviesadas, de flacidez moral travestida de militância "progressista" e de combate à classe média. Com isso quebrou-se o esteio moral do Estado de Direito do regime democrático.
Esse processo de corrupção de valores começou antes do Coronel Chavez assumir o poder na passagem do século. Envolve o aparelhamento ideológico esquerdista nas universidades, na mídia, no judiciário, nos parlamentos e, em especial, nas forças armadas.
Esse aparelhamento ideológico aliou-se ao militarismo salvacionista - uma tradição na Venezuela - que é expressão de um fenômeno virulento de ordem cognitiva: o populismo.
Não há parâmetros para o desvio moral provocado pelo populismo, e o populismo destruiu a Venezuela.

RISCO PARA O BRASIL


O grande risco representado pela ditadura populista venezuelana está no fato dela ter atingido tamanho nível de entropia que não mais conseguirá se alimentar com bravatas e ataques a seguimentos sociais internos. Irá inexoravelmente buscar inimigos externos que justifiquem alguma mobilização em defesa da "soberania nacional".
Como o rol de desculpas em relação à Colômbia esgotou-se com a desmobilização das FARC, com o Mercosul e OEA virando as costas ao estrume de bigodes e sua diplomacia picareta, há grande chance de Maduro iniciar algum périplo contra outros vizinhos, como é o caso do Brasil.
O Brasil está se tornando o grande destino dos venezuelanos que buscam refúgio, em massa, atravessando a fronteira para fugir da crise em seu país. Ciente do problema, o governo brasileiro já adotou postura firme em defesa da democracia e tolerância zero com as bravatas de Maduro.
Os aliados brasileiros de Maduro, porém, ainda estão ativos, cerrando fileiras nas hordas de celerados morais oriundos do “lulopetismo”.
Vários são os canais de patrocínio venezuelano a movimentos sociais de esquerda no Brasil e, segundo fontes militares, o governo venezuelano trata de utilizá-los visando recriar condições de retomada do Poder de seu aliado pela via eleitoral ou, alternativamente, na instalação do caos.
Essa intervenção não é gratuita. Os bolivarianos estão apostando no retorno ao poder, de Lula ou algum acólito petista, para fechar o ralo da perda progressiva de aliados internacionais, sendo o próximo passo representado por sanções econômicas regionais.
Dois estamentos, no entanto, preocupam no ambiente brasileiro: a jusburocracia e o estamento militar.
A jusburocracia brasileira não escapou do bolivarianismo. Ele está incrustrado nos tribunais superiores, justiça federal e principalmente no ministério público - onde seguimentos esquerdistas permanecem empenhados em judicializar a Administração Pública, reduzir a autonomia do legislativo, desmobilizar a economia e desacreditar investimentos...
É a degradação por meio do esmagamento judiciário das atividades privadas e pela judicialização da política.
A ferramenta doutrinária usada pelos seguimentos populistas na jusburocracia é o ativismo judicial.
Segundo a escola do ativismo judicial, "os juízes devem fazer uso de uma hermenêutica emancipatória e as decisões devem ser fundamentadas sob uma racionalidade democrática, pois um dos meios do judiciário se legitimar é na sua decisão" (Dallari).
Para a corrente dos bolivarianos de toga, nossa Constituição fundou um Estado onde o Direito tem que estar democraticamente conformado, um sistema que deve buscar menos a legalidade e mais a "legitimidade".
O pensamento nacional em nada difere do "estado de coisas inconstitucional" adotado pela suprema côrte venezuelana. Esses preceitos aplicados por aqui, como pudemos ver na conclusão do golpe de estado na Venezuela, prestam-se a gerar insegurança jurídica e desestabilização institucional.
No entanto, se a jusburocracia deixou-se contaminar pelo populismo de esquerda, o mesmo não ocorreu com as forças armadas do Brasil.
Os militares brasileiros não toleram o populismo.
Aliás, quando chamados a intervir em 1964, no cenário político nacional, o fizeram justamente para pôr fim à política populista praticada no governo João Goulart.
Essa preocupação anti-populista desengajou os líderes militares da busca pela perpetuação no Poder e permitiu ao país, por um tempo, adotar um projeto de desenvolvimento impessoal, em bases planejadas, bem como controlar, ainda que precariamente, a corrupção endêmica - evitando a pandemia (uma constatação fria que só não é oficialmente adotada por conta exclusiva da reatividade apaixonada de parte a parte, mas que a história fará, oportunamente).
Voltando à questão venezuelana, os militares brasileiros agiram ceticamente no período de governo lulopetista, reagiram negativamente com a diplomacia "baba-ovo" de Dilma e mantém-se vigilantes no governo Temer.
Darão, portanto, apoio às ações de combate ao populismo, caso encetadas pelo governo atual.
É fundamental, portanto, que o governo brasileiro adote as medidas cabíveis para evitar a contaminação do desastre venezuelano.
O Brasil, afinal, tornou-se para a ditadura bolivariana uma incômoda referência democrática.